31 dezembro 2014

ATIVIDADE COM O JOGO “RACIOCINANDO LEGAL” PARA O TRABALHO COM AS OPERAÇÕES FUNDAMENTAIS

No dia 11 de dezembro de 2014 o bolsista Francisco Edgley Araújo apresentou na IV Semana de Educação e Pesquisa em Matemática/SEPMAT - UECE em Fortaleza - CE o trabalho intitulado "ATIVIDADE COM O JOGO “RACIOCINANDO LEGAL” PARA O TRABALHO COM AS OPERAÇÕES FUNDAMENTAIS" em forma de pôster eletrônico.
Credenciamento na IV SEPMAT
O trabalho foi pensado e  planejado pelo bolsista Francisco Edgley sendo executado no Colégio Estadual Dom José Tupinambá da Frota em Sobral-CE, no periodo de 3 a 28 de Outubro de 2014 com alunos do 1º ano do ensino médio e tem como objetivo orientar os alunos de que na resolução de uma operação matemática, há casos em que tem-se mais de uma forma de resolução possível. Também buscou-se determinar os elementos que favorecem a aprendizagem matemática através do uso de jogos além de incentivar os discentes a raciocinarem para a busca de soluções. Enquanto que esta atividade contribui para uma formação mais ampla no futuro profissional do bolsista. 

A atividade aconteceu nas seguintes etapas: A primeira etapa foi uma introdução, onde fora explicado como iria se desenvolver o encontro e os conceitos que seriam abordados. Também, houve uma apresentação básica do jogo. A segunda etapa consistiu em explicar as regras básicas, especificamente as operações que poderiam ser utilizadas no decorrer do jogo. Na terceira etapa, com a realização de partidas, um contra um, eles iam adquirindo mais conhecimento do objetivo do jogo, sendo que varias operações foram utilizadas, a saber, adição, subtração, multiplicação e divisão.
Alunos praticando matemática através de jogo

Alunas praticando matemática através de jogo

Durante o jogo foi notado o interesse e o entusiasmo dos alunos ao verem como esses conceitos podem ser compreendidos facilmente quando se usa outra metodologia. Como o trabalho se desenvolveu com alunos, à medida que iam crescendo o número de partidas, eles iam melhorando a habilidade de responder com mais rapidez e utilizando todas as operações fundamentais. Isso ajuda bastante o rápido raciocínio do aluno em sala de aula. Apesar do pouco tempo da atividade, os alunos se mostraram satisfeitos por terem participado.

O DIA NACIONAL DA MATEMÁTICA: EXPERIÊNCIAS DO PIBID NA ESCOLA DE ENSINO MÉDIO MONSENHOR LINHARES

No dia 11 de dezembro de 2014 a bolsista Marcela Teles Da Silva apresentou na IV Semana de Educação e Pesquisa em Matemática/SEPMAT - UECE em Fortaleza - CE o trabalho intitulado "O DIA NACIONAL DA MATEMÁTICA: EXPERIÊNCIAS DO PIBID NA ESCOLA DE ENSINO MÉDIO MONSENHOR LINHARES" em forma de pôster eletrônico. 
O trabalho que tem como autores: Marcela Teles Da Silva e Janaina Muniz Martins, o trabalho é um relato de experiência vivenciado pelos bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência (PIBID), subprojeto de Matemática da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). No dia 06 de maio de 2014 foram realizadas atividades para difundir o Dia Nacional da Matemática na Escola de Ensino Médio Monsenhor Linhares, parceira do PIBID, situada na cidade de Groaíras, Ceará. Houve um momento diferenciado, em que se proporcionou aos estudantes muita diversão, organizado pelos professores da área de Ciências da Natureza e Matemática e bolsistas do PIBID, com participação dos alunos do 1° ao 3° ano nos turnos manhã, tarde e noite.

 inicio
                     
Buscou-se explicar aos estudantes a origem deste dia e propor um momento diferente, em que a Matemática fosse vista de forma divertida, prazerosa e desafiadora, através de jogos que envolviam muita observação e o raciocínio logico, fazendo com que os mesmos pudessem reconhecer a importância deste dia. Também divulgar a Matemática como área de conhecimento, sua história, suas aplicações no mundo e sua ligação com outras áreas de conhecimento, buscando derrubar o mito de que aprender Matemática é difícil e privilégio de poucos. Além disso, objetivou-se envolver ainda mais os bolsistas do PIBID/UVA na comunidade escolar.
 participação dos Bolsistas

A confecção dos materiais e organização do evento foi responsabilidade dos professores da área de Ciências da Natureza e Matemática e bolsistas do PIBID/UVA e ocorreu no pátio da escola, onde foram organizadas algumas gincanas onde os alunos do 1º, 2º e 3º ano dos turnos da manhã, tarde e noite participaram e competiram.
professora verificando os jogos
As atividades foram iniciadas por meio de um vídeo que explicava o motivo do surgimento do Dia Nacional da Matemática e em seguida os professores e bolsistas do PIBID/UVA organizaram os alunos de cada turma em equipes. Aplicou-se cinco provas em sequência, todas relacionadas aos conteúdos matemáticos: Palavras Embaralhadas, foi feita a partir de nomes das figuras geométricas, Sudoku, Jogo da Três Dicas, em que os discentes tentaram descobrir uma situação matemática, através das dicas dadas pelo professor, Tangram, jogo que proporcionou ao aluno a se sentir desafiado, pois exercitavam a memória e a habilidade motora e a prova da Esteira, que se dava por meio de perguntas com alternativas relacionadas a conteúdos matemáticos.
 aplicação dos jogos

Para os estudantes foi uma experiência muito rica, pois conheceram um pouco sobre a origem sobre o Dia Nacional da Matemática de maneira prazerosa. Como resultado dessa atividade vale destacar como elemento de maior relevância a participação da escola como um todo, desde o seu diretor como também o envolvimento dos professores de outras áreas e equipe pedagógica e funcionários, na realização das atividades em parceria com os bolsistas PIBID e professores de Matemática.
 Professores

Sobre os jogos escolhidos foram bem aceitos pelos discentes. O Sudoku foi um dos jogos que moveu os alunos em uma disputa motivadora.
 JOGO SUDOKU
A participação dos bolsistas, por meio das diversas práticas, puderam conhecer melhor o seu futuro campo de atuação, e assim construir uma experiência significativa na área educacional. Na medida da realização das atividades vão produzindo reflexões críticas sobre a realidade escolar e a importante função do professor como educador.








30 dezembro 2014

PRÁTICA DOCENTE E AVALIAÇÕES EXTERNAS: EXPERIÊNCIA DO SUBPROJETO DE MATEMÁTICA DO PIBID/UVA

No dia 11 de dezembro de 2014 a bolsista Andressa Nobre apresentou na IV Semana de Educação e Pesquisa em Matemática/SEPMAT - UECE em Fortaleza - CE o trabalho intitulado "PRÁTICA DOCENTE E AVALIAÇÕES EXTERNAS: EXPERIÊNCIA DO SUBPROJETO DE MATEMÁTICA DO PIBID/UVA" em forma de pôster eletrônico. 


Bolsista apresentando trabalho na SEPMAT.

O trabalho que tem como autores: Andressa Nobre, Jonas Farias e Marcio Nascimento, é um relato da experiência vivenciada como bolsista do subprojeto de Matemática do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência (PIBID) da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA) entre os meses de maio e outubro do ano de 2014, com turmas de 1º e 3º anos do ensino médio do Colégio Dom José Tupinambá da Frota, situado na cidade de Sobral, Ceará. Durante este período foram feitas observações em sala de aula e realizado o projeto Plantão Matemático. 



Bolsista observando a aula.
A realização do projeto “Plantão Matemático” deu-se a partir do segundo semestre de 2014 com cinco alunos que estão abaixo da media adequada, trabalhando exclusivamente os descritores do SPAECE. Com um número pequeno de alunos era possível avaliar melhor, aplicadas no 1º ano, semanalmente no tempo de duas aulas após o intervalo. Fora utilizado um conjunto de questões elaboradas tanto pelos bolsistas como por professores da escola. Nesse reforço foram trabalhadas as resoluções dessas questões sendo que em alguns momentos fora dado aos alunos um tempo para que eles mesmos tentassem a resolução, com a correção acontecendo logo em seguida.

Bolsista aplicando o "Plantão matemático".

Apresentar trabalho fora da nossa cidade é uma experiencia muito rica e importante para graduandos, além de mostrar um pouco como trabalhamos no PIBID. Que venham mais momentos como esse.


 

29 dezembro 2014

OTIMIZAÇÃO DO CUSTO DE EMBALAGENS

No dia 11 de dezembro de 2014 o bolsista Jonas Farias apresentou na IV Semana de Educação e Pesquisa em Matemática/SEPMAT - UECE em Fortaleza - CE o trabalho intitulado "OTIMIZAÇÃO DO CUSTO DE EMBALAGENS" em forma de exposição de pôster. 
O trabalho de autoria dos bolsistas Antônio Jonas Farias e Deisiane Linhares Lima foi executado na escola Elza Goersch em Forquilha - CE no dia 18 do novembro de 2013 no turno da tarde e tem como objetivos estudar áreas e comprimentos de polígonos e também de setores circulares propondo a construção e a confecção do recurso didático “Otimização do Custo de Embalagens” a partir de materiais de fácil acesso e/ou baixo custo que contribuam e sirvam de apoio para o ensino e aprendizagem da matemática. Para solucionar o problema proposto - verificar qual disposição de latas terá a menor área total ou superficial - os alunos calcularam a área das embalagens de conjuntos de latas de alumínio (fardos) todas com o mesmo padrão (mesmo raio) usando geometria plana, considerando que a embalagem (plástico) acompanhe o formato das latas. Foi mostrado aos alunos que a embalagem de menor custo será aquela de menor área total. Para o desenvolvimento da atividade, o seguinte material foi usado: latas de alumínio, calculadora, régua, folha de caderno, compasso, lápis, borracha, transferidor e fita adesiva. A oficina foi realizada com 12 alunos do 3º ano do Ensino Médio no Laboratório de Matemática da escola com uma duração de 3 aulas; o grupo foi dividido em subequipes de 4 componentes e foram distribuídos os materiais necessários para cada quarteto. A partir dai, cada grupo passou a investigar a disposição das latas agrupadas que teria a embalagem com a menor área superficial.

Alunos da Escola Elza Goersch verificando qual a disposição das latas que tem o menor custo de embalagem.

Na aplicação desta atividade observou-se alguns problemas apresentados por alguns alunos que demonstraram possuir pouca base em matemática, principalmente quando necessitava de um pouco da abstração dos estudantes. Durante o desenho para calcular a área das bases, muitos confundiam o raio com o diâmetro quando estavam desenhando os círculos e a maioria possuíam pouca noção de abstração de planificar alguns sólidos para calcular a sua área lateral, isso exigiu do bolsistas uma atenção redobrada por partes destes alunos.

Bolsista auxiliando os estudantes na atividade

Com a realização desta oficina, observou-se o quanto o uso de materiais alternativos despertam interesse e levam os estudantes a assimilarem mais facilmente o conteúdo exposto. Ao final da atividade todos ficaram admirados com os resultados obtidos, pois ao calcularem as áreas superficiais das diversas disposições, perceberam que algumas delas necessitariam de menos material para embalagem, mesmo sem alterar a quantidade de latas que compunham o fardo. Ficaram bastante entusiasmados de poderem calcular e pôr em prática a sua teoria, usando ferramentas interessantes que a matemática possui para otimizar o empacotamento de objetos.



DIAGNÓSTICO DO COLÉGIO ESTADUAL DOM JOSÉ TUPINAMBÁ DA FROTA

Buscando-se conhecer a metodologia do Colégio Estadual Dom José Tupinambá da Frota escola parceira do PIBID para que o desenvolvimento da mesma seja de grande reconhecimento educacional e social, a formação de cidadãos capazes de compreender criticamente a realidade social e consciente de seus direitos e responsabilidades, desenvolvendo lhes os valores éticos e o aprendizado da participação através do desenvolvimento da capacidade de reflexão e criação, em busca de uma participação consciente no meio social.
    Com a intenção de conhecer a escola, suas funções educacionais, o desempenho dos alunos, suas deficiências na disciplina de Matemática, como pode-se aplicar os conteúdos tendo sempre um melhor desempenho. Quais os objetivos da escola, Como os professores encontram uma maneira melhor para os alunos terem uma maior desenvolvimento nas aulas de matemáticas.
     Através do conhecimento da escola e de algumas dificuldades auxiliar para resolver alguns problemas e que já estão em ação no subprojeto de matemática são os encontros promovidos pelo mesmo entre acadêmicos, professores e profissionais da educação básica, a fim de refletir e discutir aspectos ligados a formação do professor de matemática e buscar novas metodologias em sala de aula; produção de materiais didáticos e experimentações matemáticas em salas de aula, ao qual os bolsistas desenvolvem projetos e aplicam para alguns alunos com o objetivo de fortalecer o ensino de matemática e mostrar a aplicação da matemática no dia-a-dia dos estudantes, resultando em uma experiência e aprendizagem mútua entre os alunos da escola e os bolsistas.
     O diagnóstico fez com que os pibidianos conhecessem melhor o papel do PIBID dentro do desenvolvimento da escola e assim pudessem planejar melhor sua atividades conscientes das problemáticas que se apresentam.

PLANTÃO MATEMÁTICO


          O plantão matemático foi um projeto desenvolvido de 26 de agosto de 2014 até 26 de novembro de 2014, pelos bolsistas: Andressa Nobre Lopes, Antônio Jonas Farias, Marcela Teles da Silva, Francisco Edgley Araújo, Danilo Eduardo Barros e Antônia Damasceno Alves, aplicados aos alunos do 1º ano do ensino médio do turno manhã e tarde.
         Os objetivos deste projeto são: Ensino de matemática para os alunos com dificuldades na disciplina; Aumento de 25 pontos percentuais proficiência dos alunos dos 1o anos; Trabalhar com alunos de 1º ano do ensino médio os descritores ao qual possuem as maiores dificuldades; Contato mais próximo com os alunos; Trabalhar com estudantes a matemática de forma contextualizada, relacionando-a sempre que possível com as demais disciplinas – geografia, física, etc.

Bolsista aplicando o plantão
O instituto Unibanco realiza nas escolas o projeto jovem de futuro, que tem como metas elevar a proficiência dos alunos em três anos em 25 pontos percentuais, além de reduzir em 40% o número de abandonos gerais e 50% o número de alunos com proficiência  muito crítico e crítico.

Para alcançar a meta de elevar em 25 pontos percentuais na escala de proficiência lança mão da tutoria que consiste em contratar através de edital acadêmicos do curso de matemática para que esse possam trabalhar os alunos, fora de sala, para que estes elevem sua proficiência, este projeto visou envolver os pibidianos na mesma metodologia não havendo concorrência de projetos e sim uma soma de forças para que o objetivo seja  alcançado.


Alunos do 1° ano desenvolvendo atividades
        Os pibidianos assim como os tutores planejaram com o supervisor quais assuntos deviam ser trabalhados e foram revisar com os alunos de forma separada dos demais em outra sala que não foi a sala de aula e com um número reduzido de alunos.
O projeto foi realizado um dia na semana, nos dois turnos: manhã e tarde, o público alvo foram os alunos do 1º ano do ensino médio. A retirada dos alunos de sala de aula aconteceu no horário da aula.

O projeto plantão matemática foi desenvolvido em uma sala com poucos alunos, aproximadamente seis alunos para cada bolsista, para que os mesmos compreendessem com bastante calma e atenção os assuntos estudados. Os assuntos trabalhados foram predeterminados e baseados no planejamento do professor regente.

Bolsista aplicando o plantão

Os alunos mostraram interesse em aprender e os bolsistas adquiriram experiência em prática de ensino. No final, em soma foram trocas informação e aprendizagem de ambas as partes. Como a prática era desenvolvida por cinco bolsistas individualmente cada um com seis alunos, acreditamos que no total atingimos um publico em média de 30 alunos.


VI Encontro PIBID/UVA - Minicurso: "O Ensino de Estatística por Meio de Jogos"

Na tarde do dia 13 de Julho de 2017, bolsistas do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Docência (PIBID) do subprojeto de Matemática...