30 janeiro 2015

Entrevista bolsistas do PIBID


Entrevista realizada pela bolsista Antônia Alves do PIBID/UVA Subprojeto Matemática com dois bolsistas do PIBID, sendo um recente e outro veterano e uma ex-bolsista  formada, em 25 de janeiro de 2015, com a finalidade de compreender se a experiência na escola reflete na formação acadêmica com destaque na importância de vivenciar os diversos conflitos presentes no meio escolar.
Foi perguntado aos alunos:

A experiência docente realizada pelo PIBID tem contribuído para sua formação de educador de visão critica com consistência teórica e metodológica para atender a demanda da realidade social?

Resposta Edvando Morais - Subprojeto Letras (bolsista recente): Desenvolver a visão critica, você ter a sua criticidade, e o PIBID vai desenvolvendo essa sua criticidade que uma deficiência que já vem desde a minha formação da escola publica mesmo e corre o risco de você passar pela universidade e não conseguir desenvolver também essa visão critica, e se você não conseguir desenvolver a sua visão critica como é que você vai conseguir desenvolver a dos seus alunos, se você mesmo num tem essa criticidade.

Resposta Marcela Teles - Subprojeto Matemática (bolsista veterana) A contribuição que existe do PIBID é que, assim, quando a gente entra na Universidade é totalmente deslumbrada com o que a gente vai mudar a realidade da escola, e assim, eu tenho a consciência de que eu tenho que fazer a minha parte, tenho que fazer o meu trabalho bem feito, e que eu posso mudar ali, como o meu trabalho aqueles alunos que estão em sala, e assim que essa consciência que eu tive foi desde o momento que eu tive a oportunidade de estar na escola, que eu pude relacionar essa questão de consciência critica, eu saber assim, que eu posso mudar isso através do meu trabalho, eu posso oferecer aqueologia através do trabalho do PIBID que a gente pode sentar, poder ver como seria trabalhado em sala deu poder relacionar, o meu trabalho, as minhas praticas, a importância deu não ter um trabalho solto, de saber o que eu vou querer ali, saber qual a metodologia eu vou utilizar, se eu vou querer que a criança desenvolva a leitura, qual a relação e o trabalho metodológico eu vou poder direcionar para eles, eu acho assim, que também foi muito, teve grandes contribuições colaboração a minha vivencia no PIBID também, nessa percepção.

Resposta Joelma Alves Subprojeto Pedagogia (ex-bolsista): As atividades do PIBID contribuíram bastante para a nossa formação, por que elas são experiências que elas vão abrindo a nossa mente para que a gente tenha essa visão critica. É digo isso por que os nossos planejamentos nos sempre estavam colocando em pratica as atividades que surgiam daquela realidade, e que fugiam das praticalas crianças uma oportunidade melhor de acordo com o trabalho, essa consciência que eu tive foi a aptir do PIBID, que eu deixei de ser tanto encantada e sou mais realista com a questão da escola.  A questão da metods tradicionais, nos procurávamos sempre estar inovando e atendendo a realidade social. Tanto que o nosso tema, nossa proposta era justamente ta levando atividades contextualizadas de acordo com a realidade dos alunos, então atividades essas que queriam fugir das métodos tradicionais e que tivessem somando com as atividades que tem em sala, não sendo iguais, mas que tivesse somando mais que fossem diferentes.   

Através desta entrevista compreendeu-se que a participação das bolsistas neste projeto é de grande importância para o desenvolvimento acadêmico, visto que o PIBID proporciona aos bolsistas uma experiência rica dando embasamento teórico e prático para as experiências no contexto escolar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário