25 abril 2017

Mostra dos Subprojetos do PIBID/UVA

No dia 7 de março de 2017, os bolsistas do subprojeto de Matemática do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), atuantes na Escola Dom José Tupinambá da Frota fizeram uma participação na mostra dos Subprojetos do PIBID/UVA atuantes na Escola Dom José Tupinambá da Frota para alunos do 1° ano do ensino médio nos turnos manhã e tarde.
Foto: Integrante do subprojeto de Física

Participaram da mostra os subprojetos de Matemática, Física, Inglês, Letras e Interdisciplinar. Durante o evento, foram expostos aos alunos alguns jogos e matérias didáticos já desenvolvidos pelos bolsistas do subprojeto de matemática, para que os alunos ingressantes na escola pudessem conhecer as ações que são desenvolvidas pelos bolsistas.
Foto: Edson Sousa
Foto: Edson Sousa
Foto: Edson Sousa
A participação na mostra dos Subprojetos do PIBID/UVA proporcionou aos bolsistas a oportunidade de expor as produções realizadas pelos mesmos, valorizando a prática docente adquirida no decorrer da realização dos projetos.

02 março 2017

Reunião Mensal

Na tarde do dia 23 de Fevereiro de 2017, aconteceu no Laboratório de Ensino de Matemática (LEMA) a Reunião Mensal do Subprojeto de Matemática, mediada pelo coordenador de área Márcio Nascimento.
Foto: Edson Sousa
Na ocasião, foi realizada inicialmente uma avaliação referente ao seminário ministrado pelo Prof. Dr. Israel Brandão, que ocorreu no dia 16 de fevereiro e teve como tema “Afetividade, metodologias de aprendizagem e a relação professor-aluno na escola”. Ocorreu também à apresentação do Plano de Atividades Escolares, momento onde foi apresentado o projeto +matemática, que será desenvolvido nas escolas parceiras a partir de Abril.
Foto: Edson Sousa
Foto: Edson Sousa
Foi discutida também a participação dos bolsistas em eventos como a Semana de Educação e Pesquisa em Matemática (SEPMAT) que acontecerá nos dias 21 a 24 de março, o VI Encontro PIBID da Universidade Estadual Vale do Acaraú e  o III Encontro de Matemática da Feclesc (III EMAF) ambos no início do mês de abril. Assim, como a previsão de carga horária para o mês de março de 2017.

24 fevereiro 2017

Observação de Conselho de Turma

No dia 22 de fevereiro de 2017, Ana Karoline, Ícaro Carvalho e Jéssica Oliveira, bolsistas do Subprojto de Matemática do PIBID (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência) da Universidade Estadual Vale do Acaraú, observaram o Conselho das turmas do período da tarde.
Conselho de Turma de 2º ano
Foto: Jéssica Oliveira
Após o Período de Recuperação do Ano Letivo (PRALET), que é período onde o aluno tem a oportunidade de recuperar o conteúdo da disciplina visto durante o ano e que não conseguiu uma pontuação necessária pra ser aprovado por média. No PRALET, o aluno tem direito a duas semanas de aula equivalente, por exemplo, numa semana são 5 aulas de matemática, caso o aluno não consiga 24 pontos durante 4 bimestre, quando estiver no PRALET, esse aluno terá direito a mais 10 horas-aulas, conseguindo pontuação suficiente será aprovado, caso contrário, terá que repetir o ano.
Conselho de Turma
Foto: Jéssica Oliveira
O conselho de turma é a última fase do ano letivo, pois todos os professores de uma turma "X" se reúnem para analisar a situação de cada aluno. Além das observações, aplicação de oficinas esse momento é interessante para os bolsistas enquanto futuros docentes, para desde já se inserirem no ambiente escolar e assim se familiarizarem com a rotina de uma escola.

Formação Acadêmica

Na tarde do dia 16 de fevereiro de 2017, aconteceu no bloco da Matemática um encontro entre os bolsistas do subprojeto de Matemática do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência (PIBID) da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA)com o objetivo de trazer aos bolsistas novos conhecimentos para ajudar na formação e no desempenho das atividades realizadas pelo subprojeto. O encontro teve como mediador o Professor Doutor Israel Brandão, do curso de Pedagogia da UVA, quer abordou o seguinte tema: “Afetividade, metodologias de aprendizagem e a relação professor-aluno”.
Durante o encontro o Professor Israel Brandão explanou várias questões quanto a postura docente em sala de aula, a quebra de paradigmas educacionais, o sistema educacional brasileiro, dentre outros assuntos que agregaram um conhecimento muito importante para os bolsistas.

15 novembro 2016

Ação Pedagógica na turma do 3º ano "B"

               
  Na tarde da quinta-feira dia 10/11/2016 o bolsista Germano Raran fez seu primeiro planejamento com um professor da escola para realizar uma intervenção em sala de aula. Na ocasião foi discutido sobre o que seria abordado nessa intervenção, se seria um oficina envolvendo algum conteúdo que os alunos do 3º ano já tivessem estudado, ou o conteúdo que estava sendo trabalhado pelo professor. Foi optado por ser uma aula seguindo o planejamento do professor. O conteúdo que estava sendo visto era o de Números Complexos. O professor me repassou as turmas que eu poderia fazer a ação pedagógica e a turma escolhida foi a turma do 3º ano "B". 


  Confesso que fiquei muito ansioso para a minha primeira aula pra uma turma de 3º ano, já havia ministrado uma aula para alunos de 3º ano, devido a uma disciplina da faculdade de Licenciatura em Matemática, mas era na minha própria cidade e com amigos próximos, enfim, estava na minha zona de conforto. Já esta oportunidade seria a primeira longe digamos, dos meus domínios. A ação pedagógica ocorreu no dia 14/11/2016 na parte da manhã, mais precisamente no 2º tempo de aula da escola. 

    
Foto: Iara Tudes
                  
Foto: Iara Tudes
Foto: Iara Tudes

Foto: Iara Tudes

          Fiquei muito agradecido pelo professor ter dado um pouco do seu espaço pra mim, a experiência foi incrível e só fez eu ter mais certeza de que eu realmente quero me tornar um professor de Matemática.










05 outubro 2016

Triângulo de Pascal no Tabuleiro de Damas

Nos dias 27 e 28 de setembro de 2016, foi aplicado a oficina intitulada " triângulo de pascal no tabuleiro de damas" eu bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA) atuante na E.E.M. Dom José Tupinambá da Frota em Sobral - CE. Apliquei oficina onde buscava o raciocínio logico dos alunos para alcançar o objetivo. 
Foto: Germano Raran


Foto: Germano Raran

Experiência do ganhar e do perder permite que o desenvolvimento dos alunos tenha tais qualidades como:  concentração, diversão, paciência, modéstia, prudência, perseverança, autocontrole, autoconfiança, e, principalmente, a sublimação da agressividade. O jogo de damas, ensinado metodicamente, constitui um sistema de estimulação intelectual. O aluno adquire através da aprendizagem e prática deste jogo, um método de raciocínio, de organização das relações abstratas e dos elementos simbólicos. O jogo de damas foi utilizado para que o aluno visse o quanto de matemática ele poderia utilizar jogando, o objetivo era fazer com que o aluno saísse de um determinado ponto “x” até outro ponto “y” com a ideia de montar o triângulo de pascal mas além de montar o triangulo de pascal procurei mostrar ao aluno como visão de um jogador para que aquilo iria servi em uma partida, vemos que ensinando o manejo de numerosos mecanismos lógicos e contribui para o desenvolvimento de certas capacidades psíquicas e até físicas e a introdução do jogo de damas no ensino destes alunos é um elemento ideal para cultivar o pensar.

Foto: Lourenço Cordeiro

Foto: Professor
Ajudar os alunos a desenvolver a aprendizagem de maneira mais fácil e eficiente; raciocinar na busca dos meios adequados para alcançar um objetivo; exemplo vemos que se uma determinada peça está em (E, 1) com o objetivo de chegar em (D, 8) temos um labirinto de caminhos para traçar o objetivo, percebemos que se chegarmos em (E, 5) vamos ter o número 6 seguindo a ordem do triângulo de pascal no tabuleiro, os alunos chegaram no ponto principal onde foi questionar o porquê, por que aquilo ocorria. E mim indagaram, mas porque seis? E sempre vai estar lá? A resposta é sim, se seguirmos o raciocínio do exemplo vai seis caminhos diferentes, seis probabilidades diferentes a seguir onde o real interesse era fazer com o que os alunos encontrassem os caminhos para comprovar que existiam somente estes e nenhum a mais, parece ser bem simples mais cada vez que ele andava uma casa a quantidade de caminhos aumentava sendo que a dificuldade para os alunos também eles começavam se perder com tantas probabilidades, repetir caminho por isso cada um deles começou a anotar os caminhos traçados.  Notamos que o aluno tem que organizar uma variedade de elementos para uma finalidade; imaginar concretamente situações futuras próximas; prever as prováveis consequências de atos próprios e alheios e tomar decisões vinculadas à resolução de problemas. O ensino deve estruturar-se em experiências significativas que envolvam a forma integrada do pensar. O processo de ensino aprendizagem será desenvolvido a partir de experiências e do conhecimento prévio do aluno para chegar à sistematização do conhecimento.


Foto:Professor

Foto: Professor
 O jogo mostrou que os alunos na situação de grupo testam o conhecimento, o equilíbrio emocional, interage, socializa, fazendo com que ele aprenda e também trabalhe inúmeras habilidades aqui antes mencionadas. Na vida o jogo é importante e o jovem gosta de jogar, isto é evidente, mas jogar na escola é muito melhor, possibilita o envolvimento de um maior número de jovens, dando oportunidade a todos vivenciar situações diversas de jogo e parceiros. Os alunos apresentaram autoestima mais elevada, se tornam mais calmos, motivados, com uma maior concentração e mais receptividade para os conteúdos a serem aprendidos.